O novo lay está a caminho, modetes! Mas não consigo ficar muito tempo longe do blog... Por isso o MM voltou a ativa e, em breve, além dos nossos textos opiniosos vocês vão ver a nossa nova cara.
.

Garras alérgicas coloridas sem stress

12 de janeiro de 2010
Meu primeiro post no blog é sobre um problema que me persegue há anos e, com o passar do tempo, fui descobrindo que não é tão incomum assim. Imaginem ir ao salão e ver todas aquelas cores lindas na mesinha da sua manicura e ter que se contentar com um branquinho “ralinho”, que sai em menos de quatro dias? Ou então experimentar uma nova marca e acordar de manhã se sentindo um mutante diante do espelho?

Pois é, tenho alergia a esmaltes, isto é, ao formaldeído e o tolueno, componentes que fazem parte da fórmula da maioria dos vidrinhos que está no mercado. Descobri por acaso, quando, logo depois de sair do salão, comecei a coçar os dedos sem parar e notar meu rosto – principalmente a área dos olhos – inchado e vermelho. A dermatologista não esperou nem eu sentar na cadeira e foi logo dando o diagnóstico: pode tirar o esmalte das suas unhas, você é alérgica. E ainda completou dizendo que não poderia mais pintá-las.

Saí do consultório arrasada. Como assim não vou mais fazer minhas unhas? Ficar com mão de homem? rs Logo eu, que A-DO-RO garras coloridas? Rebelde, não segui a orientação e saí em busca de um salão que resolvesse meu problema. Mas só fiz sofrer com manicuras que acabavam com meus dedos, tirando um bife atrás de outro. Pois é, porque além da alergia, as cutículas também sofriam e eram muito irregulares.

Eram! O verbo é no passado mesmo porque depois de todo um périplo dolorido, achei a minha salvadora. Regina, que trabalha no salão Edson Freitas do Iguatemi (RJ), também é alérgica e meu deu várias dicas, além de salvar minhas unhas. E aproveito para compartilhá-las aqui para as alérgicas de plantão que, a cada dia que passo, percebo que não fazem parte de um grupo tãaao seleto assim.

- A primeira marca de esmalte que usei foi a Jordana, que tem um vidro gordinho. Tenho um sentimento de agradecimento por ela, pois foi a primeira vez que usei vermelho depois de muito tempo patinando no branquinho. Mas a marca fica por aí também, ou era vermelho ou branco, não tinha muitas opções de cores. O preço é salgado: em torno de R$15,00 cada vidrinho. Mas, belo dia, acordei e me descobri alérgica também à marca.

- Foi aí que conheci o Argento, a marca mais em conta dos hipoalergênicos. Custando cerca de R$2,00, as cores também não são lá essas coisas. Mas o branquinho é muito bom e também pode se encontrar um marrom ou lilás bonitos. Mas tem que procurar bastante, pois ele tem muita opção de cintilantes, lembrando as unhas do tempo das nossas avós.



- Já totalmente inserida no universo das alérgicas, decidi partir para um voo mais alto e ousei: comprei um Bourjois vermelho maravilhoso. Essa marca é tradicional por ser a mais apropriada para pessoas alérgicas. Comprei uma versão que tem um pincel diferente, meio achatado, com secagem rápida. O preço é beeeeeeem salgado: R$60,00. Mas vale a pena: o esmalte tem um brilho maravilhoso e dura até o sábado seguinte firme e forte nas unhas. As opções de cores também são ruins, mas para quem gosta de garras vermelhas, é cair dentro.


- Recentemente, fui apresentada a duas outras marcas muito boas também. A Mavala foi indicação da santa Regina. Um vidro pequenininho que eu tenho nas cores vermelho aberto, um rosa chá e um branquinho poderoso. Muito bom também, dura direitinho. O preço, como sempre, salgado: R$20,00. A Revlon tem uma linha hipoalergênicia e o Verniz e Cor da Colorama também, mas eu usei uma vez para nunca mais; também me deram os efeitos mutantes.

- Mas o campeão para mim agora é o Impala. Sabem essas cores bem verão como o laranja, todos os tons de rosa e até verdes e azuis? As alérgicas como eu não precisam ficar chupando o dedo e, graças a Impala, também podem aderir à moda. A marca lançou uma linha hipoalergênica com as mesmas cores da normal, com duas diferenças: a tampa do vidrinho é prateada ao invés de branca e o preço, lógico, mais caro, em torno de R$10,00. Essa semana mesmo estou com o Rio Doce nas mãos, mas também tenho guardado no meu armário o Pipa (lindo!). Dura bastante e tem uma cobertura ótima, super recomendo!

O problema de todas essas marcas é encontrar onde comprar. Mais uma vez, Regina me indicou um lugar que eu achei todas essas cores da Impala: numa lojinha em frente à entrada principal do Shopping Tijuca. Vale a pena dar uma conferida lá, onde também tem Jordana e Argento. Os da Mavala comprei na Shampoo e o Bourjois em qualquer loja de importados de shopping. Uma amiga também alérgica me indicou uma farmácia no Leblon, que também dá para encontrar algumas opções chamada Alergo House (www.alergohouse.com.br). Lá, além de vários outros produtos também hipoalergênicos, há uma boa variedade de esmaltes, removedores e maquiagem. E o melhor: eles fazem entrega em domicílio! Que delícia!

E, por último, mas não menos importante: de nada adianta usar essas marcas se a base também não for hipoalergênica. Sei que cada pessoa reage diferente à determinada alergia, mas, no meu caso, nem arrisco usar a base normal. Contudo, óleo secante está liberado!

É isso, gente. Como o primeiro post já foi um testamento, já deu para perceber que eu sou a mais “falante”, né? Mas espero que tenha ajudado! Beijo e até a próxima! =)

Ana

2 comentários:

Vivi Farias disse...

Que maneiro!! Layout novo, bloguetes novas!!!

Nunca tinha pensado nesse lance de alergia a esmalte, amei o post!!

Bjos!!

Renata disse...

Ana páááula, adorei!!! olha, aqui perto de casa tb tem impala hipoalergenico! se tiver em falta por aí, é só falar que eu aceito encomendas!! rs

bjos pras três